terça-feira, 11 de setembro de 2018

Instagram testa marcação de amigos em vídeos

Em breve o Instagram pode adicionar uma nova forma de marcar amigos em publicações: além de fotos, também pode ser possível citar o nomes de usuários em vídeos.

O TechCrunch diz que uma pequena porcentagem de usuários da rede social já contam com a novidade. Com o recurso, é possível marcar uma pessoa também em um vídeo. Até agora, para fazer isso, usuários apostavam em "gambiarras" como citar outras pessoas na descrição da postagem.

O Instagram confirmou que de fato o recurso está sendo considerado. "Nós sempre testamos novas maneiras de melhorar a experiência no Instagram e aproximar usuários das pessoas e coisas que gostam", disse um representante da empresa ao TechCrunch.

Ainda em testes, não há previsão para o recurso ser liberado para todos os usuários, se é que um dia será.

Fonte: Olhar Digital

Facebook cria ferramenta que avalia memes

Rosetta, lançada irá ler textos em vídeos e fotos; tecnologia ajudará a identificar discursos de ódio
Você usa o Facebook para ver memes? Talvez eles fiquem menos frequentes por lá agora. A rede social anunciou nesta terça-feira, 11, que está construindo uma ferramenta dotada de inteligência artificial para ajudar a detectar textos ofensivos contidos em imagens publicadas na plataforma, um jeito de pegar memes com discurso de ódio que até então passavam batido pelo crivo do Facebook.

A ferramenta, chamada Rosetta, identifica e transcreve em algo legítimo para o computador os textos contidos em imagens e vídeos publicados na rede social. Alguns sites especializados nos Estados Unidos acredita que a ferramenta já está atuando, checando 1 bilhão de imagens e vídeos por dia no Facebook e no Instagram.

Na prática, a Rosetta ajudará os profissionais responsáveis por checar se determinadas publicações são ou não ofensivas. Hoje, devido ao grande número de publicações, os moderadores não conseguem ver cada imagem postada na rede social e lançam mão de tecnologias criadas pelo Facebook para fazer uma varredura entre as postagens.

A rede social ainda não explicou se está usando esses dados para além da verificação. O site de tecnologia The Verge levanta suspeita de que a rede social esteja usando a tecnologia para descobrir o que seria interessante colocar na linha do tempo dos usuários e para checar se memes estão sendo usados para propagar o discurso de ódio.

Para determinar se publicações são consideradas ou não discurso de ódio, a rede social criou diretrizes que são avaliadas pelos moderadores durante as checagens. Cada região possui um grupo especializado para fazer a comparação, levando em consideração a linguagem daquela localidade.

Fonte: Terra

6 erros cometidos pelas marcas nas mídias sociais

As plataformas podem viralizar qualquer coisa postada, especialmente quando é algo controverso

As mídias sociais se tornaram um local comum para exercer o marketing. Saber o que dizer e quando dizer, provavelmente, é a maneira mais objetiva de gerar resultados. Tanto no quesito visibilidade como na lucratividade. Quando se fala em marketing nas mídias, é importante investir tempo em entender o que não fazer ao usar as redes para os negócios.

Confira abaixo os 6 erros mais comuns cometidos por empresas que visam o engajamento, mas deixam a desejar.

1- Não pesquisar

O marketing digital só trará benefícios para a marca se ela entender a importância da pesquisa oportuna e completa. O estudo envolve entender quem é o público, em detalhes, isso significa delinear os principais pontos problemáticos de seus clientes-alvo e com que eficácia seu produto os ajuda a lidar com esses quesitos.

2 – Não planejar

A empresa é capaz de canalizar seus esforços de forma construtiva para atingir metas específicas e definidas, o que significa mais chances de obter resultados. O tempo e os recursos são cruciais para aplicar um plano.

O indivíduo pode otimizar suas campanhas de mídia social para garantir que o seu produto esteja causando o nível necessário de impacto em seu público-alvo. É necessário ter em mente que o planejamento é apenas uma parte do processo e tomar medidas consistentes é a chave para obter resultados consistentes.

3 – Conhecimento sobre seus produtos e campanhas

As plataformas podem viralizar qualquer coisa postada, especialmente quando é algo controverso. Isso pode engajar à fama instantânea ou prejudicar a marca. Ser politicamente correto pode parecer entediante, mas é mais garantido para não “sujar” a imagem.

Em caso de dúvida, aplique o bom senso, como evitar comentar ou postar tópicos controversos. O objetivo é mostrar a consciência do que está acontecendo no mundo, mas aproveitar a força de tópicos influentes, usando-os de uma forma que reflita positivamente.

4 – Não ter os sistemas certos

É importante configurar os canais de mídia social de forma que eles apoiem, em vez de impedir, o tráfego ou a geração de leads. Sem contar que a página precisa ser de fácil acesso e contatação.

5 – Falta de autenticidade e presença

Os clientes experientes em mídia podem ver através de uma fachada falsa muito rapidamente. Portanto, cada vez mais, as pessoas preferem se ater a marcas que têm uma voz única e individual, especialmente quando se trata da indústria de serviços, onde a marca pessoal é tudo. Em um mercado competitivo, a autenticidade também se destaca como um dos traços mais atraentes.

6 – Deixar tudo para a IA

A automação não deve substituir o elemento humano quando se trata de marketing nas mídias sociais. Encontrar maneiras de se conectar com seus seguidores de maneira genuína, empática e humana, sempre favorece. Construir um relacionamento autêntico com o público ajuda muito a garantir que eles continuem desfrutando da marca, recomendando-a a outras pessoas e permanecendo fiéis por muito tempo.

Fonte: EXAME/ADNEWS

quarta-feira, 13 de junho de 2018

Qual a melhor hora para postar nas redes sociais?

Por Vera Moraes (Sebrae)
Esta é a pergunta que todos os profissionais de marketing gostariam de ter a resposta. Particularmente, se você ainda não leva isso em conta na hora de fazer seus posts devo dizer que é importante começar a pensar nisso.

É verdade, existem alguns padrões de horários difundidos no mercado para cada segmento de negócio. Entretanto, não há uma resposta mágica que vale para todas as empresas. O ideal é que você analise seu trabalho e avalie quais os horários que funcionam melhor para o seu negócio.

De qualquer forma existem algumas questões importantes que podemos abordar em relação a isso. Inclusive com algumas sugestões de horários para cada rede social.

Para começar, experimente
Existem diferentes variáveis que você pode testar em suas postagens nas redes sociais para engajar melhores seus seguidores. Você pode testar ofertas diferentes com variações de texto, por exemplo. Outra opção ainda é testar seu público postando em dias diferentes para descobrir qual teve mais retorno.

Analise os dados
A internet permite que você colete dados. Todas as redes sociais entregam uma ferramenta de analytics, para que você possa tomar suas decisões baseadas em números. Nessa hora vale lembrar que o objetivo final deve ir além dos likes. Sua avaliação de performance deve levar o impacto do conteúdo na geração de conversões para o seu negócio.

Existe a melhor hora para postar no Facebook?
Com mais de 1 bilhão de usuários ativos, o Facebook é de longe a rede social mais "movimentada". O problema é que por conta das regras do algoritmo que decidem quem vai ler o quê, tem sido complicado fazer o conteúdo chegar de forma orgânica aos fãs.

De qualquer forma, ainda é a rede social em que o engajamento é mais constante entre os 7 dias da semana. No entanto, existem alguns picos notáveis que eu posso destacar aqui, segundo uma pesquisa da empresa SproutSocial.

Em resumo:

Quinta-feira é de longe o dia mais recomendável para se postar, sendo das 12hs as 13hs o melhor horário. Começo da manhã (08hs as 09hs) e fim de noite (22hs as 23hs) são também recomendáveis.

Para entender isso basta pensar no seu comportamento. Vai dizer que olhar o Facebook não é a primeira e a última coisa que fazemos no dia-a-dia.?

Já para os fins de semana o engajamento varia muito com relação aos perfil da sua base de fãs.


Para aumentar o engajamento com seu conteúdo leve em conta 3 coisas:

- Use vídeos.

- Avalie antes os conteúdos que funcionaram bem anteriormente.

- Mantenha mensagens curtas e objetivas.

Qual é a melhor hora para postar no Instagram?

As marcas rapidamente descobriram o Instagram. Já ouvi casos de lojas de roupas que vendem apenas utilizando essa rede social. Uma pesquisa da Forrester descobriu que o Instagram é a rede social com maior índice de interação por usuário (2,2%). Em segundo lugar está o Facebook com 0,22%.

Isso quer dizer que no Instagram existe uma chance maior de seus seguidores interagirem com seu conteúdo. Nesse contexto saber em quais momentos os seus seguidores mais interagem se torna fundamental. Segundo a pesquisa da SproutSocial:

- Dias da semana são melhores que fins de semana, sendo segunda-feira o melhor dos dias. Interessante, não? Bem diferente do comportamento no Facebook.

- Os melhores horários para postar são 2h (sim, na madrugada), 8 da manhã (enquanto toma café) e 17hs (quase no fim do expediente).


Os usuários do Instagram geralmente interagem pelo celular, e isso significa que eles podem usar a rede o tempo todo, a qualquer hora. O engajamento no Instagram é bastante estável, com ligeiros aumentos na segunda-feira e diminuição no domingo. No geral, porém, qualquer dia da semana é bom.

terça-feira, 24 de abril de 2018

10 coisas que os headhunters querem ver no seu perfil do LinkedIn

A ideia é facilitar o uso da ferramenta de uma forma estratégica para o profissional, desmistificando um pouco o processo de prospecção

Muitos profissionais, que utilizam o LinkedIn como ferramenta para relacionamento e exposição de suas conquistas profissionais, gostariam de saber um pouco mais sobre como ficar em evidências para os headhunters. Como essa é uma rede social com um propósito único e bem definido, além de não permitir uma postura informal, é desafiador lidar com ela.

O LinkedIn surgiu com um único propósito: conectar profissionais. Deve-se sempre ter em mente que essa rede social é focada no ambiente corporativo e o profissional deve evitar, desde o início, qualquer tipo de menção a sua vida pessoal. É importante construir um perfil mais atrativo, aumentar a rede de contatos com base em escolhas assertivas, interativas e com impacto pretendido.

Justamente por isso, resolvi citar aqui algumas dicas do que os headhunters querem, ou não, ver no perfil de LinkedIn. A ideia é facilitar o uso da ferramenta de uma forma estratégica para o profissional, desmistificando um pouco o processo de Hunting, e também contribuindo para processos de recolocação.

Conteúdo - é importante compartilhar conteúdo interessante, de sua própria autoria, porém busque publicar textos que realmente revelem seu conhecimento profissional. Se atenha a sua área de atuação de maneira a não cometer gafes falando do que realmente não entende a fundo. Outro aspecto do conteúdo é a coerência entre postagens. Falar “de tudo” é bom em rodas de amigos, mas no âmbito profissional, superficialidade em vários assuntos não é o ideal.

Português – pode parecer óbvio, mas erros de português, jargões, expressões idiomáticas, são problemas recorrentes. Para transmitir confiança é bom ter o domínio da língua formal. Essa é uma plataforma de uso profissional, não há espaço para agir de forma descuidada e cometer erros básicos da sua língua.

Informações cadastrais – mantenha todos os seus dados sempre atualizados, com e-mail e telefone pessoais. É comum encontrar dados de contato como telefone e e-mail corporativos que se usava em sua última atuação. Isso não é bom, pois ao sair da empresa você fica incomunicável. O perfil do LinkedIn deve ser uma cópia do seu currículo, por isso é preciso mantê-lo legível, não poluído, com informações condizentes.

Experiência detalhada – procure sempre descrever as atividades e projetos que realizou nas empresas em que trabalhou. Mais importante que o tempo de trabalho são as conquistas que você realizou na organização, e que destacam sua expertise de mercado.

Conheça seus contatos – não saia adicionando todo mundo só para ter uma vasta lista de pessoas ligadas a você. Essa não é uma rede social de popularidade. É importante estar conectado a quem realmente se conhece ou compartilha interesses comuns no âmbito profissional.

Não saia atirando para todos os lados – não se candidate a vagas que não são do seu perfil.  Quando um headhunter procura um profissional, ele chega a receber 5 mil currículos para uma única posição, em média. Porém nem 10% deles corresponde às especificações da vaga. As pessoas ficam desesperadas em se recolocar que enviam currículo para qualquer vaga, e isso não só atrapalha como prejudica o seu perfil. Procure ver se o perfil da vaga não te exclui com coisas simples como nível de inglês, região de moradia, etc. Só se apresente como opção para aquilo que realmente está de acordo com quem você é.

CLIQUE AQUI E LEIA MATÉRIA COMPLETA.