quarta-feira, 20 de maio de 2009

Do you really speak English? - Mentir sobre domínio da língua é comum, mas empresas apertam cerco nas entrevistas

Sabe o que é pior do que não saber falar, escrever e ler em inglês? Descobrir isso em plena entrevista de emprego. E, é bom ficar ligado, esse mico é cada vez mais comum. Como o domínio da língua do Tio Sam é a lorota mais frequentemente contada nos currículos - conclusão de um levantamento recente da consultoria Kroll -, as empresas de RH e os entrevistadores andam bem mais espertos e testam o conhecimento dos candidatos na lata.

- É chato quando a pessoa supervaloriza seu conhecimento e é descoberta. A maioria das empresas está aplicando testes bem mais sérios, principalmente orais, hoje em dia. Se o candidato tem resultado muito aquém do que declarou, nós o questionamos. Por que deu informação errada? Isso depõe contra ele. É preciso ter a humildade de reconhecer a defasagem e procurar se atualizar - diz a headhunter Jacqueline Resch, sócia-diretora da Resch Recursos Humanos.

Ela também pondera que a "mentira" pode não ser proposital. Muitas vezes o candidato realmente estudou até um nível avançado, mas, como não pratica a língua no dia a dia, acaba ficando para trás.

Por isso, o ideal é fazer um teste de conhecimento antes de preencher o currículo. Na internet há diversos sites que oferecem o serviço. Os principais cursos de inglês da cidade também dispõem de testes de nivelamento. Qualquer um pode fazê-los, mesmo que não vá estudar lá.

- É preciso deixar claro: o mínimo que qualquer um deve buscar, hoje, é o intermediário. É pré-requisito, não diferencial. Você nem entra na disputa por uma vaga importante se só tiver inglês básico - pondera a diretora-superintendente da Cultura Inglesa, Maria Lucia Willemsens.

Por outro lado, nem todo mundo precisa de nível avançadíssimo. É, muitas vezes, por achar que o empregador espera domínio da língua inglesa que os candidatos acabam maquiando o currículo.

- Não precisa se queimar à toa. O melhor é saber se autoavaliar com honestidade. O candidato pode não estar apto agora para uma vaga mas pode estar para outras. Uma vez, entrevistei uma pessoa que tinha o perfil quase completo de que precisava o meu cliente. Ela foi correta e assumiu que o inglês não estava 100%. Achei que era tão boa que valia a aposta - lembra Jacqueline.

Para não precisar contar com essa sorte, Stephanie Branco Tondo, de 19 anos, resolveu investir num curso de imersão. Ela vai começar a estudar Comunicação na UFRJ no segundo semestre. Mas desde o ano passado já está com o inglês tinindo.

- As aulas eram semanais e duravam oito horas. A turma saía com os professores para almoçar, lanchar, falando sempre em inglês. Em três meses já senti melhora muito grande, percebi que estava realmente pensando na língua. Depois de um ano já me considero fluente, não preciso fazer mímica e careta para falar - ri. - Acho que outra boa opção é um intercâmbio. Nada substitui a experiência de viver a língua completamente - segue Stephanie, que está fazendo estágio no curso onde estudou, o Plan Idiomas.

Já o coordenador de franquias do CCAA José Lyra crê que o aprendizado é mesmo demorado. Não adianta, ele diz, querer queimar etapas:

- Muitos jovens, ainda não acostumados com o processo seletivo das empresas, colocam no currículo que falam excelente inglês, na ilusão de que não serão testados imediatamente. Talvez pensem que vão melhorar com o tempo e, ao chegar ao processo, estarão fluentes. Essa é a mentira mais boba. As empresas estão testando, e testando seriamente. Se o cara não se preparar direito, não vai ter chance. E ainda vai passar vergonha.

Teste aqui seus conhecimentos de inglês

Reportagem publicada no Jornal O Globo.

Um comentário:

Têffo disse...

é verdade...
Bem, eu vou ser tradutor do oclumencia e mesmo não sabendo inglês fluente. Poxa, eu disse que era intermediário, fiz alguns testes e passei. Sabe, com a verdade, ainda que pareça assustador, é sempre possível ganhar.
Thiago, seu ste aqui é um sucesso!
Abraço e , agradeço a visita!
Volte sempreeee


lovinggraphics.blogspot.com