quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Audax-RJ: clube de quarta, estrutura de primeira

Embora eliminada na Série D, time possui estrutura elogiável e agora tenta título da Copa Rio

Por Estefano Abreu

Com apenas seis anos de existência e uma mudança de nome, Audax-RJ supreende com a estrutura fora de campo. Embora tenha alterado o nome para a disputa da Série D - competição que já foi eliminada - de Sendas para a atual nomenclatura que significa audacioso.
Porém as supresas não param por aí. Em São João de Meriti, o CT da Sendolândia, onde fica o Arthur Sendas, estádio do time, é o orgulho da cidade. O projeto do time começou com um projeto social de futebol para meninos da região da cidade da Baixada Fluminense.
O supervisor das categorias de base do clube, Kadu Borges, disse que o projeto foi idealizado em 2004 primeiramente em São Paulo - hoje Audax-SP - com a ideia de instituir o projeto "Super Bola".
- Nesse projeto reuníamos garotos muito carentes de todas as áreas de São João de Meriti, começou em 2005. Queríamos escolher alguns meninos para colocá-los dentro da estrutura que estávamos construindo, principalmente para formar times de sub-15 e sub-17. Na época foram 30.000 inscrições, em uma rede de supermercados, e no final escolheríamos 60 - detalhou Borges.
O encerramento desta primeira fase do projeto foi um grande evento em um dos palcos mais conhecidos do Rio de Janeiro, a Praça da Apoteose. Kadu ainda explicou que alguns desses 60 meninos atualmente configuram o futebol profissional.
- A idea foi dar o atendimento ideal para as categorias infantil e juvenil, trabalhando em níveis de excelência para esses meninos, porque percebemos uma defasagem no Rio de Janeiro, em relação aos centros de treinamento - declarou.
O centro de treinamento do Audax-RJ abriga cerca de 70 jogadores base em seus alojamentos. São 12 quartos, com capacidade para seis meninos em cada. A maioria dos que lá ficam, são os que vieram de mais longe, como é o caso de Clinger Oliveira, tricampeão do Juniores, revelado em uma peneira em Minas Gerais.
- O Audax-RJ me oferece visão. Muita gente pensa que aqui não tem nada, que é estrutura de clube pequeno. Mas aqui é de time grande - fala o entusiasmado Clinger.
A Laranja da Baixada conta com times em todas as categorias de base: sub-13, sub-15, sub-17 e sub-20. E um time de profissionais com 40 atletas. Todos eles desfrutam de uma estrutura de causar inveja.
CLIQUE E CONHEÇA A ESTRUTURA DO AUDAX-RJ
São 12 quartos, com capacidade para seis jogadores cada; sala de jogos e sala de estudos, equipadas; departamento médico, sala de fisioterapia, sala especial para reunião entre os treinadores das bases e do profissional, uma sala de projeção para preleções e reuniões com os atletas. Além de sala de musculação com mais 50 aparelhos diferenciados. Tudo isso, no prédio de alojamento e administração do clube.
Andando pelo CT, é possível encontrar: duas grandes piscinas para treinamento físico e mais uma piscina semi-olímpica. Dois campos de dimensões profissionais para treino, além do campo principal para as partidas. Um espaço em areia para dispensar treinamentos na praia e vestiários de alto nível, que todos os atletas utilizam durante os treinamentos.
Para receber o público, em dias de jogos, a diretoria oferece espaço coberto na arquibancada e vestiários até com chuveiro de água quente, além da distribuição de lanche no intervalo da partida.
Michel Cravo, coordenador do Audax-RJ, reconheceu que, mesmo com essa ótima estrutura, ela precisa aumentar, para que o clube cresça também.
- O desafio da nossa estrutura é acha uma forma de crescer. Estamos abrindo espaço internamente. Há um estudo pra ver como aumentar esse centro. Em termos de atendimento ao atleta, estamos querendo melhor o atendimento a esses meninos. Vamos começar com aula de inglês para todos, estruturar melhor esse atendimento. Nunca vamos perder esse cunho social, de profissionalizar os meninos que vêm da base do social. Pra gente, é incrível, ver grandes jogadores que nasceram aqui em clubes por aí pelo mundo. Até hoje, mantemos acompanhamento do rendimento escolar dos atletas - afirmou Michel.
A diretoria promete, em breve, disponibilizar a venda do novo uniforme e reafirma o compromisso de entrada franca nas partidas, porque, para eles, o mais importante é criar primeiro a identificação com o torcedor da cidade, que cade vez mais tem ido e apoiado a equipe nas competições.


Leia mais no LANCENET! http://www.lancenet.com.br/minuto/Audax-RJ-clube-estrutura_0_587341350.html#ixzz1dDKFPThE
© 1997-2011 Todos os direitos reservados a Areté Editorial S.A Diário LANCE!

Foto: Anderson Luiz.

Nenhum comentário: