domingo, 29 de abril de 2012

A ESCOLA GESTALT

O movimento gestaltista surgiu em 1910, na Universidade de Frankfurt. Atuou principalmente no campo da teoria da forma, contribuiu para os estudos da percepção, linguagem, inteligência, aprendizagem, memória, motivação, conduta exploratória e dinâmica de grupos sociais.

Através de rigorosos estudos e pesquisas experimentais, a teoria da Gestalt tenta explicar o porquê de umas formas agradarem mais e outras não. O movimento se opõe ao subjetivismo, pois a psicologia da forma se baseia na fisiologia do sistema nervoso, quando procura explicar a relação sujeito-objeto no campo da percepção.

M. Wertheimer, K. Koffka e W. Köhller fundamentaram a teoria da Gestalt através das leis da percepção da forma. Quando eu crio um símbolo ou logotipo procuro seguir esses fundamentos, principalmente a Lei da Pregnância da Forma, a lei básica da percepção visual da Gestalt.
A qualidade de uma marca depende do seu grau de pregnância

Todo símbolo (marca) possui um grau de pregnância. Um símbolo com alto grau de pregnância é um símbolo que apresenta um máximo de equilíbrio, clareza e unificação visual, e um mínimo de complicação visual na organização de seus elementos ou unidades compositivas.

O grau de pregnância está diretamente associado à legibilidade de um logotipo ou símbolo. Um símbolo repleto de elementos é muito mais complexo e, portanto, muito menos legível que um símbolo simples, com poucos elementos visuais.

O grau de memorização de um elemento visual também depende do seu grau de pregnância. Poucas pessoas sabem quantas listras vermelhas tem a bandeira dos Estados Unidos, por exemplo, mas a maioria sabe que a bandeira do Japão tem apenas um círculo vermelho e não dois. Portanto, neste ponto de vista, a bandeira do Japão é mais pregnante que a bandeira dos Estados Unidos. Isto ocorre porque a bandeira japonesa é composta por um único elemento enquanto que a americana possui diversas formas geométricas, como listras brancas e vermelhas, quadrado azul e muitas estrelas.
Bandeira e símbolos

Ao criar um símbolo ou logotipo, devemos procurar a simplicidade, o minimalismo da forma, sem, é claro, perder a originalidade do objeto. Esse é o grande desafio e a razão de existir tantos logotipos ruins por aí.

Fonte: http://www.bakerdesign.com.br/artigo-escola-gestalt.html

Nenhum comentário: