quarta-feira, 13 de agosto de 2014

6 erros nos perfis sociais que destroem carreiras

6 erros nos perfis sociais que destroem carreiras 
Nós todos sabemos que os potenciais empregadores conferem os nossos perfis de mídia social, mas nem sempre têm a certeza do que estão procurando.


A CareerBuilder entrevistou empregadores e descobri algumas razões surpreendentes que eles encontraram para rejeitar candidatos.

 A principal razão é óbvia: 46% dos empregadores rejeitaram candidatos devido a "fotos ou informações provocativas ou inapropriadas". Algumas das outras principais razões não são tão óbvias:

Os candidatos falavam mal da sua empresa ou empregador anterior - 36 por cento
Os candidatos tinham baixa capacidade de comunicação - 32 por cento
Os candidatos tinham comentários discriminatórios relativos à raça, género, religião, etc. - 28 por cento
Os candidatos mentiram sobre qualificações - 25 por cento
Os candidatos compartilhavam informações confidenciais de empregadores anteriores - 24 por cento

O número de empregadores atualmente que rejeita candidatos a empregos devido a questões relativas com os seus perfis sociais e mensagens nas redes sociais continua a levantar, por isso tome cuidado com o que escreve e posta.

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Qual a diferença entre marketing e publicidade?


É muito comum que as pessoas confundam marketing com publicidade, não entendam qual é a diferença e achem que ambos são a mesma coisa. Mas marketing e publicidade não são sinônimos, apesar de estarem conectados um ao outro. Por isso, vamos explicar as características de cada um e qual sua ligação.

O marketing pode ser considerado o ‘pai’ da publicidade e da propaganda, pois é muito mais abrangente que os outros dois. É a estratégia geral, que abrange todo o processo de venda e a relação entre o consumidor e a empresa, desde os produtos, os serviços, sua adequação ao mercado, a comunicação do negócio, etc. O marketing é pura estratégia, é responsável por desenvolver ações para se chegar até os clientes, entender e satisfazer as suas necessidades.

Já a publicidade é a difusão de ideias, é tornar algo público, ou seja, é a divulgação dos produtos e serviços. Refere-se à propaganda comercial, são os anúncios das empresas e marcas destinados ao comércio. Seja na televisão, nos jornais, na internet ou outros meios.

O Marketing é planejar uma estratégia para alcançar o objetivo da empresa, seja ele qual for. E para isso ele utiliza os 4P’s: Produto, Preço, Praça e Promoção e desenvolve uma série de atividades para conquistar os clientes. A comunicação da empresa, também faz parte desse planejamento. O marketing também define quem é a empresa, quem são seus clientes, quais os diferenciais dos produtos e serviços, etc.

Já a publicidade faz parte do marketing, é uma de suas ferramentas. Pois, o profissional de marketing cria as estratégias para atender os desejos do cliente. Para isso, realiza as pesquisas de mercado, os estudos sobre o público alvo, a divulgação da empresa e de seus produtos, etc. É essa divulgação a função da publicidade, que tem como objetivo convencer o consumidor de como aquilo poderá beneficiá-lo, levando-o a comprar o produto ou adquirir o serviço.

Os dois fatores estão ligados, pois um está dentro do outro e um depende do outro. O Marketing é quem vai determinar o que será feito no quesito ‘Promoção’, que é onde a publicidade age, ela irá promover o que o plano marketing deseja e de acordo com o que ele definir. Seja criando anúncios, campanhas, folders e afins, e também em quais mídias isso será divulgado.

A publicidade é essencial e contribui diretamente no trabalho do marketing. E não há também uma publicidade eficaz sem antes conhecer seu público-alvo, sua concorrência, sem planejamento, ou seja, sem o plano de marketing. Ou seja, sem um marketing bem feito, a publicidade também não tem bons resultados.

Para que a sua empresa tenha sucesso no mercado é importante que as duas áreas andem juntas, pois se uma falha a outra também será afetada. O marketing é muito mais amplo que a publicidade, ambos estão conectados, mas são sim muito distintos um do outro.

Concluindo, o marketing é a arte de planejar o antes, o durante e o depois do processo de vendas. E a propaganda é uma maneira de estimular o cliente a realizar a compra.

Fonte: Administradores

Jovens brasileiros acessam redes sociais pelo celular

Entre as crianças e os adolescentes brasileiros que acessam a internet, 79% mantêm perfis em redes sociais, segundo estudo divulgado ontem pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br). Em 2012, esse índice era de 70%.

O levantamento ainda revelou uma tendência de crescimento no uso do telefone celular como principal forma de acesso às redes sociais – o aparelho é usado por mais da metade desse público (53%). O acesso à internet por meio dos tablets cresceu de 2%, em 2012, para 16%, em 2013.

Os computadores de mesa, porém, continuam sendo os dispositivos mais utilizados para acessar a internet por este público – é usado por 71% das crianças e dos adolescentes.

O local onde os acessos mais ocorrem é a sala de casa, mencionada em 68% dos casos, seguido pelo quarto da criança ou do adolescente (57%). A preferência por centros de acesso pago, como as lan houses, está em queda, passando de 35% em 2012, para 22% em 2013.

Atividades online

As atividades mais desenvolvidas pelos jovens que acessam internet são: pesquisa para trabalho escolar (87%), assistir a vídeos (68%) e baixar músicas ou filmes (50%).

Mais de 60% dos usuários com idade entre 11 e 17 anos lembram de ter visto publicidade nas redes sociais. Entre os usuários, 57% disseram ter curtido alguma publicidade em redes sociais, 36% disseram ter compartilhado. Cerca de 21% disseram não aprovar a publicidade e 20% bloquearam o anúncio.

A pesquisa TIC Kids Online Brasil, feita entre setembro de 2013 e janeiro deste ano, ouviu 2.261 usuários com idades entre 9 e 17 anos, em todo o território nacional. As informações são da Agência Brasil.

Fonte: O Tempo

App do ICQ supera WhatsApp e é o mais baixado para iPhone no Brasil

O aplicativo foi relançado com suporte para chamadas em vídeo.
WhatsApp, Facebook e Messenger foram superados em downloads.

 O aplicativo de troca de mensagens instantâneas ICQ alcançou o primeiro lugar na lista de aplicativos mais baixados na App Store, do iPhone e do iPad, no Brasil. De acordo com o desenvolvedor do app, o grupo Mail.Ru, a audiência do aplicativo lançado na segunda (7) no Brasil cresce 100 registros por minuto.

Para alcançar o topo da versão brasileira da loja, o aplicativo gratuito, muito popular no final dos anos 1990 e no início de 2000, superou concorrentes como o WhatsApp, o Facebook e o Instagram.

O Mail.Ru não divulgou dados sobre os downloads do ICQ em smartphones com sistema Android, mas, ao G1, disse que "a versão para Android está recebendo quase o dobro de downloads que a versão para iOS".

"A Copa do Mundo despertou o interesse pelo ICQ, uma vez que o mensageiro oferece chamadas de voz e vídeo gratuitas. A versão para iOS encabeçou a lista de mais baixados, e os usuários do Android estão muito entusiasmados também. Estamos realmente animados que o público brasileiro goste tanto do ICQ, e contentes em ver tantas pessoas o descobrindo e oredescobrindo”, disse o diretor do departamento de mensagens instantâneas do Mail.Ru, Igor Yermakov.

 A empresa afirma que o aplicativo do ICQ disponibiliza um registro rápido pelo número do celular e aqueles que já usaram o ICQ anteriormente podem ter acesso com o número UIN. O aplicativo permite conversar com amigos do ICQ e suporta a exportação de contatos do catálogo de endereços de um telefone. Além disso, um usuário pode enviar fotos, vídeos e compartilhar sua localização.

Vídeos e recursos de chamada de voz permitem falar com amigos, não importa o dispositivo que estiver usando ou em qual rede. Além das chamadas, o ICQ oferece o envio de mensagens de texto (SMS) gratuita para os contatos do catálogo de endereços de um telefone.

Além do iOS e do Android, o ICQ tem versões para Windows Phone 7, Blackberry e PC.

Fonte: G1

WhatsApp só perde para Facebook em 'vício' entre jovens internautas

Levantamento também mostrou que o jovem médio brasileiro tem perfil em sete redes sociais

Os jovens internautas brasileiros se dizem "viciados" (ficam continuamente conectados) em quatro aplicativos: Facebook (89%), WhatsApp (87%), cliente de e-mail (80%) e Instagram (63%). A conclusão é do estudo Conecta, feito pelo Ibope Inteligência, apresentado nesta sexta-feira (18) no festival Youpix, evento de cultura digital realizado em São Paulo.

A pesquisa foi feita pela internet entre 2 e 9 de julho deste ano com 1.513 internautas de todos os estados do país. Foram considerados jovens pelo estudo pessoas com idade entre 15 e 32 anos.

Quase todos os jovens (90%) dizem navegar em redes sociais. Dentre outras atividades feitas online por esse público, são listadas buscar informações (86%), acompanhar notícias (74%), assistir a vídeos (71%) e ouvir música (64%).

Um dos destaques do "Conecta" é a popularidade de e-mails entre os entrevistados. O jovem brasileiro, diz a pesquisa, recebe em média 2,8 mensagens eletrônicas. Além disso, 84% deles disseram ter aplicativo de e-mail instalado no smartphone.

O levantamento também mostrou que o jovem médio brasileiro tem perfil em sete redes sociais. As mais populares entre eles são, em ordem: Facebook (96%), YouTube (79%), Skype (69%), Google+ (67%) e Twitter (64%).

Boa parte do acesso dos jovens a rede sociais é feito via dispositivos móveis. Entre os entrevistados, 88% disseram ter o aplicativo do Facebook no celular. Na sequência entre os programas mais usados em telefones vem o YouTube (81%) e o WhatsApp (79%).

Fora das mídias sociais, as categorias de aplicativos mais consumidas pelo jovem internauta brasileiro são jogos, previsão do tempo, internet banking e notícias.


Fonte: Tribuna Hoje