sexta-feira, 14 de novembro de 2014

12 maneiras de mudar o dia de alguém

Você já percebeu que, às vezes, quando acordamos com alguma preocupação ou o dia simplesmente parece que não vai ser tão bom, acaba aparecendo alguém que muda tudo e consegue arrancar de você um sorriso, um suspiro, um sinal de alegria? E você já parou pra pensar que também pode fazer este bem a outras pessoas?

Confira algumas dicas e mude o dia de alguém.

1 – Sorria.

2 – Envie um email de agradecimento.

3 – Ligue, só para saber como alguém está.

4 – Prepare uma refeição especial.

5 – Escreva uma carta de amor.

6 – Faça um bolo.

7 – Ouça.

8 – Dê um abraço.

9 – Diga “te amo” ou “gosto de você”.

10 – Ofereça um café.

11 – Faça uma massagem.

12 – Seja feliz você também.


Fonte: Zastros

Para quem ama e respira resultado


São várias as ferramentas existentes para medir o resultado de uma campanha. Desde as mais tradicionais e sofisticadas através de grandes institutos de pesquisa, prestadores de serviços e veículos até as mais simples, como por exemplo, os dados extraídos do Scup ou do Google Analytics (só para citar algumas).

Para lidar com tanta informação, algumas agências estruturaram a área de "Business Inteligence" ou BI, e muitos clientes decidiram montar essa área em seus escritórios. Isso porque, tudo pode ser medido e todas as informações podem ser cruzadas; consumo de produtos, padrões de comportamento, evolução da saúde da marca, índice de engajamento, leads, vendas, etc.

Analisar essas informações para mensurar o resultado do trabalho é sinal de uma equipe profissional preparada para redirecionar o curso da campanha, caso seja necessário.

Mas, você só será um agente nesse processo, se discutir previamente os objetivos, as métricas e seus indicadores (os famosos kpi's - key performance indicator), com o cliente e com os outros departamentos da agência, fazendo escolhas e perguntas certas.

João Torres, diretor de BI da FCB, complementa "nenhuma estratégia é definida sem meta e indicadores para monitorar quão distante ou perto você está em relação as escolhas que fez".

Além disso, é fundamental, estabelecer o que é responsabilidade da agência, responsabilidade do cliente e principalmente a corresponsabilidade pelo resultado do trabalho.

Um exemplo didático em uma determinada campanha no mundo off-line é estabelecer que a responsabilidade da agência será a de tirar as pessoas do sofá e levá-las até a loja, mas a responsabilidade de deixar o produto disponível na loja e tornar a experiência de compra mais agradável para o consumidor é responsabilidade do anunciante.

No online o conceito é o mesmo, porém as decisões são mais complexas e por isso as perguntas tornam-se ainda mais relevantes. No desenvolvimento de um projeto integrado, na comunicação digital ou na mídia performance quando a campanha termina, na verdade ela só começou. E, se no passado o seu sucesso era avaliado no pós-venda, hoje ele é monitorado semanalmente, diariamente ou real time.

Lembro de ter participado de um projeto multiplataforma em que o tema da campanha era a gastronomia. Tudo começou com um perfil fake de um cozinheiro moderninho no Facebook, a história virou uma minissérie na tv a cabo e na sequência enviamos os episódios para o Youtube. A estratégia de inverter a ordem dos meios para o início da campanha era bem inovadora para o momento, porém não consideramos que a verba do cliente acabaria antes de nos perguntarmos o que faríamos com os diferentes níveis de engajamento e com o resultado vindo de várias plataformas.

Por isso, quando você estiver discutindo o objetivo da campanha com o cliente entenda com clareza quais perguntas serão feitas e quais as informações serão consideradas para não correr o risco de se perder em milhares de análises possíveis. Dessa forma, vocês poderão validar os resultados finais e fazer uma recomendação adequada para a marca, para o produto e para o target.

Li em um texto do Júlio Ribeiro: "Chega-se às respostas certas por meio das perguntas certas. Só pergunta quem duvida, quem intui que pode existir uma saída melhor, e sabe procurar por ela. Todas as respostas que sabemos hoje tornaram se inúteis porque as perguntas mudaram".

Artigo de Cris Pereira Heal, diretora de atendimento da FCB Brasil. Publicado originalmente em seu blog


segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Filme Irmã Dulce faz sucesso nas redes sociais

Irmã Dulce. Um dos filmes mais esperados do ano faz sucesso nas redes sociais. Pelo visto compartilhar o bem virou moda na rede. Nas redes do filme além de saber as novidades do longa você ainda pode compartilhar o bem.

Irmã Dulce desde menina, aos 13 anos, quando começou num impulso a acolher e ajudar mendigos em sua casa, e acompanhando sua trajetória desde então, o filme mostrará como Irmã Dulce, com determinação infindável, passou a maior parte de sua vida ajudando aos pobres. Seja batendo de porta em porta pelas ruas de Salvador pedindo doações ou entrando em gabinetes de prefeitos e até a presidência da república para pedir apoio, assim continuou até o fim de sua vida aos 78 anos, com uma saúde fragilizada, e acabou construindo e mantendo uma das maiores e mais respeitadas instituições filantrópicas do país Sua obra rendeu uma indicação ao Prêmio Nobel da Paz, e a canonização da menina uma vez conhecida como Maria Rita – mas que todos conhecem pelo nome que adotou na vida religiosa: Irmã Dulce.

Diretor: Vicente Amorim
Roteiro: Anna Muylaert
Produtor: Iafa Britz
Distribuição: Downtown Filmes / Paris Filmes.

Fonte: PN/R7

Assista ao trailer:

domingo, 9 de novembro de 2014

Perigo no Facebook! Você pode estar correndo riscos

Especialista afirma que o povo brasileiro ainda é muito leigo nas redes sociais

O Facebook pode ser um vilão. O risco que que corremos nas redes sociais ainda é uma grande questão a ser discutida. Todos os dias milhões de pessoas tem sua privacidade exposta nas redes e nem se quer imaginam.

O simples fato de colocar seus dados para se cadastrar no Facebook pode ser o primeiro passo para o perigoso mundo da internet que, cá entre nós, quase ninguém para pra pensar que existe. “Muitos não entendem o perigo de fazer um simples check-in no Facebook. As pessoas que não estão inteiradas nessa parte de privacidade nas redes sociais nunca imaginam que estão em perigo.

A maioria confia nos amigos do Facebook e pensa que seu perfil está sendo visualizado somente por amigos. Engano deles. Pessoas mal intencionadas também estão aí procurando uma brecha para saber o que você está fazendo, onde você está, qual seu círculo de amigos.” diz o especialista em redes sociais e publicitário Thiago Loures, que trabalha há 7 anos no ramo.

Então já sabe: seu perfil não é somente visualizado pela galera do bem. Quem te odeia também acessa sua rede social, vê suas fotos, o que você está fazendo e o que pensa e expõe na rede. Uma sugestão é entrar em configurações de privacidade no Facebook e limitar quem pode ver o que você posta. Nunca coloque suas publicações como públicas. Exiba seus posts somente para pessoas que você tem como amigo. É simples e funciona. Cuidado! O Facebook não é essa maravilha que você imagina.

sábado, 8 de novembro de 2014

Você trabalha para o facebook de graça e não sabia

Escravos do facebook. Isso mesmo. Você curte páginas na rede social, não curte? Se sim, você acaba de entrar para a lista dos “face escravos”. Sabe o motivo? Vamos lá, com certeza você já foi impactado por alguma história na sua linha do tempo como: fulano curtiu a página “Indiretas do Bem”, ou algo assim. Correto? Então, da mesma forma que seu amigo apareceu, você também aparece. Abismado? É, você é garoto propaganda do facebook e não sabia.
Ultimamente muitas empresas têm investido bastante no facebook e compram esse tipo de anúncio. Chamamos de história patrocinada.

“Da mesma forma que essas histórias facilitam mostrar as páginas legais que você curte, também mostra as que você não gostaria que ninguém soubesse”, revela Thiago Loures, especialista em mídias sociais e marketing online. “Uma vez fui bombardeado por histórias patrocinadas contando que meu amigo curtia páginas de pornô. Ele é casado, pai de família e nem imaginava que seus amigos poderiam ver que ele curtia esse tipo de página no facebook. Eu, como um bom amigo, chamei ele por inbox e avisei como ele estava sendo exposto. Ele ficou supersemgraça e inventou que tinha entrado um vírus no face dele”, conta o especialista Thiago Loures que hoje alerta que temos que tomar cuidado com isso porque hoje em dia muita gente adiciona até mesmo seus chefes nas redes. Parando pra pensar, o facebook pode ser mocinho ou vilão na sua vida virtual. Basta você saber como usar. E você,  se preocupa com isso? - See more at: http://www.portaldenoticia.com/voce-trabalha-para-o-facebook-de-graca-e-nao-sabia/#sthash.fY44sTW0.dpuf