domingo, 2 de dezembro de 2018

Instagram ganha lista 'Melhores Amigos' para enviar Stories com privacidade



O Instagram começou a testar um recurso de "favoritos" no ano passado, e um ano e meio depois ele começou a ser liberado para usuários. Agora exclusivo para os Stories, o recurso permite criar uma lista de melhores amigos para compartilhar atualizações apenas com eles.

A ferramenta é uma resposta a uma tendência vista em perfis de famosos, que criam uma segunda conta exclusiva para amigos mais próximos e conseguem compartilhar atualizações no Stories com mais privacidade. Agora, o Instagram decidiu criar um recurso nativo para que qualquer um possa escolher com facilidade quem vai receber essas atualizações.

A lista de melhores amigos pode ser encontrada na aba de configurações do Instagram: vá até a área do seu perfil dentro do aplicativo, clique no botão de menu no canto superior direito da tela e encontre a nova lista. O Instagram sugere alguns contatos para serem adicionados ao grupo, mas usuários podem escolher quem eles quiserem a partir da lista de seguidores.

No momento de compartilhar Stories, usuários vão encontrar um novo botão verde - ao tocar nele, o app vai entender que aquela atualização é para ser enviada apenas para amigos próximos. Os seguidores que receberem essa atualização vão saber que é algo mais privado que foi compartilhado ao encontrar um selo verde ao visualizar a postagem, além de um anel verde ao redor da foto de perfil na área de Stories.

O recurso começou a ser liberado nesta sexta-feira, 30, globalmente para usuários do Instagram no Android e iOS. Assim que você receber uma atualização do aplicativo, já deve ter acesso ao novo recurso.

Fonte: Olhar Digital

terça-feira, 11 de setembro de 2018

Instagram testa marcação de amigos em vídeos

Em breve o Instagram pode adicionar uma nova forma de marcar amigos em publicações: além de fotos, também pode ser possível citar o nomes de usuários em vídeos.

O TechCrunch diz que uma pequena porcentagem de usuários da rede social já contam com a novidade. Com o recurso, é possível marcar uma pessoa também em um vídeo. Até agora, para fazer isso, usuários apostavam em "gambiarras" como citar outras pessoas na descrição da postagem.

O Instagram confirmou que de fato o recurso está sendo considerado. "Nós sempre testamos novas maneiras de melhorar a experiência no Instagram e aproximar usuários das pessoas e coisas que gostam", disse um representante da empresa ao TechCrunch.

Ainda em testes, não há previsão para o recurso ser liberado para todos os usuários, se é que um dia será.

Fonte: Olhar Digital

Facebook cria ferramenta que avalia memes

Rosetta, lançada irá ler textos em vídeos e fotos; tecnologia ajudará a identificar discursos de ódio
Você usa o Facebook para ver memes? Talvez eles fiquem menos frequentes por lá agora. A rede social anunciou nesta terça-feira, 11, que está construindo uma ferramenta dotada de inteligência artificial para ajudar a detectar textos ofensivos contidos em imagens publicadas na plataforma, um jeito de pegar memes com discurso de ódio que até então passavam batido pelo crivo do Facebook.

A ferramenta, chamada Rosetta, identifica e transcreve em algo legítimo para o computador os textos contidos em imagens e vídeos publicados na rede social. Alguns sites especializados nos Estados Unidos acredita que a ferramenta já está atuando, checando 1 bilhão de imagens e vídeos por dia no Facebook e no Instagram.

Na prática, a Rosetta ajudará os profissionais responsáveis por checar se determinadas publicações são ou não ofensivas. Hoje, devido ao grande número de publicações, os moderadores não conseguem ver cada imagem postada na rede social e lançam mão de tecnologias criadas pelo Facebook para fazer uma varredura entre as postagens.

A rede social ainda não explicou se está usando esses dados para além da verificação. O site de tecnologia The Verge levanta suspeita de que a rede social esteja usando a tecnologia para descobrir o que seria interessante colocar na linha do tempo dos usuários e para checar se memes estão sendo usados para propagar o discurso de ódio.

Para determinar se publicações são consideradas ou não discurso de ódio, a rede social criou diretrizes que são avaliadas pelos moderadores durante as checagens. Cada região possui um grupo especializado para fazer a comparação, levando em consideração a linguagem daquela localidade.

Fonte: Terra

6 erros cometidos pelas marcas nas mídias sociais

As plataformas podem viralizar qualquer coisa postada, especialmente quando é algo controverso

As mídias sociais se tornaram um local comum para exercer o marketing. Saber o que dizer e quando dizer, provavelmente, é a maneira mais objetiva de gerar resultados. Tanto no quesito visibilidade como na lucratividade. Quando se fala em marketing nas mídias, é importante investir tempo em entender o que não fazer ao usar as redes para os negócios.

Confira abaixo os 6 erros mais comuns cometidos por empresas que visam o engajamento, mas deixam a desejar.

1- Não pesquisar

O marketing digital só trará benefícios para a marca se ela entender a importância da pesquisa oportuna e completa. O estudo envolve entender quem é o público, em detalhes, isso significa delinear os principais pontos problemáticos de seus clientes-alvo e com que eficácia seu produto os ajuda a lidar com esses quesitos.

2 – Não planejar

A empresa é capaz de canalizar seus esforços de forma construtiva para atingir metas específicas e definidas, o que significa mais chances de obter resultados. O tempo e os recursos são cruciais para aplicar um plano.

O indivíduo pode otimizar suas campanhas de mídia social para garantir que o seu produto esteja causando o nível necessário de impacto em seu público-alvo. É necessário ter em mente que o planejamento é apenas uma parte do processo e tomar medidas consistentes é a chave para obter resultados consistentes.

3 – Conhecimento sobre seus produtos e campanhas

As plataformas podem viralizar qualquer coisa postada, especialmente quando é algo controverso. Isso pode engajar à fama instantânea ou prejudicar a marca. Ser politicamente correto pode parecer entediante, mas é mais garantido para não “sujar” a imagem.

Em caso de dúvida, aplique o bom senso, como evitar comentar ou postar tópicos controversos. O objetivo é mostrar a consciência do que está acontecendo no mundo, mas aproveitar a força de tópicos influentes, usando-os de uma forma que reflita positivamente.

4 – Não ter os sistemas certos

É importante configurar os canais de mídia social de forma que eles apoiem, em vez de impedir, o tráfego ou a geração de leads. Sem contar que a página precisa ser de fácil acesso e contatação.

5 – Falta de autenticidade e presença

Os clientes experientes em mídia podem ver através de uma fachada falsa muito rapidamente. Portanto, cada vez mais, as pessoas preferem se ater a marcas que têm uma voz única e individual, especialmente quando se trata da indústria de serviços, onde a marca pessoal é tudo. Em um mercado competitivo, a autenticidade também se destaca como um dos traços mais atraentes.

6 – Deixar tudo para a IA

A automação não deve substituir o elemento humano quando se trata de marketing nas mídias sociais. Encontrar maneiras de se conectar com seus seguidores de maneira genuína, empática e humana, sempre favorece. Construir um relacionamento autêntico com o público ajuda muito a garantir que eles continuem desfrutando da marca, recomendando-a a outras pessoas e permanecendo fiéis por muito tempo.

Fonte: EXAME/ADNEWS

quarta-feira, 13 de junho de 2018

Qual a melhor hora para postar nas redes sociais?

Por Vera Moraes (Sebrae)
Esta é a pergunta que todos os profissionais de marketing gostariam de ter a resposta. Particularmente, se você ainda não leva isso em conta na hora de fazer seus posts devo dizer que é importante começar a pensar nisso.

É verdade, existem alguns padrões de horários difundidos no mercado para cada segmento de negócio. Entretanto, não há uma resposta mágica que vale para todas as empresas. O ideal é que você analise seu trabalho e avalie quais os horários que funcionam melhor para o seu negócio.

De qualquer forma existem algumas questões importantes que podemos abordar em relação a isso. Inclusive com algumas sugestões de horários para cada rede social.

Para começar, experimente
Existem diferentes variáveis que você pode testar em suas postagens nas redes sociais para engajar melhores seus seguidores. Você pode testar ofertas diferentes com variações de texto, por exemplo. Outra opção ainda é testar seu público postando em dias diferentes para descobrir qual teve mais retorno.

Analise os dados
A internet permite que você colete dados. Todas as redes sociais entregam uma ferramenta de analytics, para que você possa tomar suas decisões baseadas em números. Nessa hora vale lembrar que o objetivo final deve ir além dos likes. Sua avaliação de performance deve levar o impacto do conteúdo na geração de conversões para o seu negócio.

Existe a melhor hora para postar no Facebook?
Com mais de 1 bilhão de usuários ativos, o Facebook é de longe a rede social mais "movimentada". O problema é que por conta das regras do algoritmo que decidem quem vai ler o quê, tem sido complicado fazer o conteúdo chegar de forma orgânica aos fãs.

De qualquer forma, ainda é a rede social em que o engajamento é mais constante entre os 7 dias da semana. No entanto, existem alguns picos notáveis que eu posso destacar aqui, segundo uma pesquisa da empresa SproutSocial.

Em resumo:

Quinta-feira é de longe o dia mais recomendável para se postar, sendo das 12hs as 13hs o melhor horário. Começo da manhã (08hs as 09hs) e fim de noite (22hs as 23hs) são também recomendáveis.

Para entender isso basta pensar no seu comportamento. Vai dizer que olhar o Facebook não é a primeira e a última coisa que fazemos no dia-a-dia.?

Já para os fins de semana o engajamento varia muito com relação aos perfil da sua base de fãs.


Para aumentar o engajamento com seu conteúdo leve em conta 3 coisas:

- Use vídeos.

- Avalie antes os conteúdos que funcionaram bem anteriormente.

- Mantenha mensagens curtas e objetivas.

Qual é a melhor hora para postar no Instagram?

As marcas rapidamente descobriram o Instagram. Já ouvi casos de lojas de roupas que vendem apenas utilizando essa rede social. Uma pesquisa da Forrester descobriu que o Instagram é a rede social com maior índice de interação por usuário (2,2%). Em segundo lugar está o Facebook com 0,22%.

Isso quer dizer que no Instagram existe uma chance maior de seus seguidores interagirem com seu conteúdo. Nesse contexto saber em quais momentos os seus seguidores mais interagem se torna fundamental. Segundo a pesquisa da SproutSocial:

- Dias da semana são melhores que fins de semana, sendo segunda-feira o melhor dos dias. Interessante, não? Bem diferente do comportamento no Facebook.

- Os melhores horários para postar são 2h (sim, na madrugada), 8 da manhã (enquanto toma café) e 17hs (quase no fim do expediente).


Os usuários do Instagram geralmente interagem pelo celular, e isso significa que eles podem usar a rede o tempo todo, a qualquer hora. O engajamento no Instagram é bastante estável, com ligeiros aumentos na segunda-feira e diminuição no domingo. No geral, porém, qualquer dia da semana é bom.

terça-feira, 24 de abril de 2018

10 coisas que os headhunters querem ver no seu perfil do LinkedIn

A ideia é facilitar o uso da ferramenta de uma forma estratégica para o profissional, desmistificando um pouco o processo de prospecção

Muitos profissionais, que utilizam o LinkedIn como ferramenta para relacionamento e exposição de suas conquistas profissionais, gostariam de saber um pouco mais sobre como ficar em evidências para os headhunters. Como essa é uma rede social com um propósito único e bem definido, além de não permitir uma postura informal, é desafiador lidar com ela.

O LinkedIn surgiu com um único propósito: conectar profissionais. Deve-se sempre ter em mente que essa rede social é focada no ambiente corporativo e o profissional deve evitar, desde o início, qualquer tipo de menção a sua vida pessoal. É importante construir um perfil mais atrativo, aumentar a rede de contatos com base em escolhas assertivas, interativas e com impacto pretendido.

Justamente por isso, resolvi citar aqui algumas dicas do que os headhunters querem, ou não, ver no perfil de LinkedIn. A ideia é facilitar o uso da ferramenta de uma forma estratégica para o profissional, desmistificando um pouco o processo de Hunting, e também contribuindo para processos de recolocação.

Conteúdo - é importante compartilhar conteúdo interessante, de sua própria autoria, porém busque publicar textos que realmente revelem seu conhecimento profissional. Se atenha a sua área de atuação de maneira a não cometer gafes falando do que realmente não entende a fundo. Outro aspecto do conteúdo é a coerência entre postagens. Falar “de tudo” é bom em rodas de amigos, mas no âmbito profissional, superficialidade em vários assuntos não é o ideal.

Português – pode parecer óbvio, mas erros de português, jargões, expressões idiomáticas, são problemas recorrentes. Para transmitir confiança é bom ter o domínio da língua formal. Essa é uma plataforma de uso profissional, não há espaço para agir de forma descuidada e cometer erros básicos da sua língua.

Informações cadastrais – mantenha todos os seus dados sempre atualizados, com e-mail e telefone pessoais. É comum encontrar dados de contato como telefone e e-mail corporativos que se usava em sua última atuação. Isso não é bom, pois ao sair da empresa você fica incomunicável. O perfil do LinkedIn deve ser uma cópia do seu currículo, por isso é preciso mantê-lo legível, não poluído, com informações condizentes.

Experiência detalhada – procure sempre descrever as atividades e projetos que realizou nas empresas em que trabalhou. Mais importante que o tempo de trabalho são as conquistas que você realizou na organização, e que destacam sua expertise de mercado.

Conheça seus contatos – não saia adicionando todo mundo só para ter uma vasta lista de pessoas ligadas a você. Essa não é uma rede social de popularidade. É importante estar conectado a quem realmente se conhece ou compartilha interesses comuns no âmbito profissional.

Não saia atirando para todos os lados – não se candidate a vagas que não são do seu perfil.  Quando um headhunter procura um profissional, ele chega a receber 5 mil currículos para uma única posição, em média. Porém nem 10% deles corresponde às especificações da vaga. As pessoas ficam desesperadas em se recolocar que enviam currículo para qualquer vaga, e isso não só atrapalha como prejudica o seu perfil. Procure ver se o perfil da vaga não te exclui com coisas simples como nível de inglês, região de moradia, etc. Só se apresente como opção para aquilo que realmente está de acordo com quem você é.

CLIQUE AQUI E LEIA MATÉRIA COMPLETA.

Instagram: relembre as maiores mudanças da rede social de foto

Plataforma foi lançada em 2010 e desde então ganhou vídeos mais longos, filtros novos e o querido Stories

O Instagram é uma das redes sociais mais populares do mundo. Com o objetivo principal de compartilhar imagens, ver fotos e vídeos de amigos, a plataforma atualmente se destaca também pelo Stories, transmissões ao vivo e mensagens diretas. No entanto, o uso do aplicativo era restrito no início: disponível só para iPhone (iOS) e com quatro opções de filtros para a edição.
CLIQUE AQUI E LEIA MATÉRIA COMPLETA. 

Facebook refina regras e permite apelação de conteúdo removido

Com promessa de melhorar, o Facebook anuncia hoje mudanças em seus padrões da comunidade e permite pedidos de revisão de remoção de conteúdo da rede social

Em meio a promessas de melhorar, o Facebook anuncia hoje mudanças importantes relacionadas aos padrões da comunidade, que regem o que pode e não pode ser compartilhado na rede social.

Outra novidade será a possibilidade de que usuários “apelem” sobre decisões de remoção de conteúdo compartilhado por eles.

Para isso, o Facebook está atualizando os seus padrões da comunidade (que você pode consultar nesta página). Mais importante, pela primeira vez, a rede social compartilhará com seus usuários os materiais que servem como diretrizes internas para a análise do que será retirado do ar e do que ficará.

“As nossas políticas de uso não estão mudando. A forma como fazemos escolhas e os limites traçados sobre o que é permitido não sofreram qualquer mudança”, disse em entrevista a EXAME Monica Bickert, vice-presidente de gestão global de produtos do Facebook.

Um dos pontos mais importantes dessa mudança é o aumento na transparência entre a plataforma e seus usuários. “Estaremos fazendo melhor graças à clareza do que pode ser feito ou não. Temos de mostrar com transparência o que é discurso de ódio e o que não é, por exemplo”, afirma Bickert.

As mudanças refletem um ponto que foi bastante discutido durante as audiências de Mark Zuckerberg, CEO e cofundador do Facebook, no Congresso americano. Senadores, como o republicano Ted Cruz, questionaram o executivo se o Facebook tomava lado em discussões, principalmente na remoção de conteúdo e na suspensão de páginas.

O Facebook foi pelo melhor caminho para evitar esse tipo de polêmica: a transparência. Agora, usuários poderão consultar um material mais detalhado para entender se determinado material é vetado da rede ou não. Isso será feito graças a exemplos que servirão para ilustrar situações e conteúdos que infrinjam ou não as normas.

“Ao mesmo tempo, esse anúncio é sobre dar satisfação aos usuários. Em muitos casos, as pessoas não entendem se o material era permitido ou não”, diz Monica Bickert.

Apelação
É assim que chegamos a outro aspecto importante do anúncio de hoje. Pela primeira vez, o Facebook permite que usuários apelem de decisões que retiraram um conteúdo do ar. Antes, essa era uma prerrogativa para casos de suspensão de perfis, páginas ou grupos.

Usuários poderão pedir revisão de conteúdo removido por violar regras de nudez ou atividade sexual, discurso de ódio e violência. O pedido de recurso será analisado em, no máximo, 24 horas. Caso a remoção tenha sido indevida, o conteúdo volta ao ar.

Para melhorar esse trabalho manual de revisão, o Facebook anuncia que está expandindo o número de empregados nessa área. Até o final do ano, serão 7.500 revisores de conteúdo, um número 40% superior ao do ano passado.

Fonte: EXAME

domingo, 1 de abril de 2018

Canal no YouTube para você aprender Inglês!

Você sabe que eu sempre dou dicas superimportantes aqui no meu blog, né? Hoje quero indicar um canal no YouTube que estreou há pouco tempo na plataforma e está chamando atenção! É o "My Turn To Learn English" que dá várias dicas de Inglês. Vou te mostrar esse vídeo da Juliana que é a superprofessora de Inglês responsável pelo canal. Enjoy it! Clique aqui e inscreva-se no canal no YouTube para receber as novidades!

sábado, 31 de março de 2018

'Talvez custe vidas': comunicado interno de estratégias do Facebook vaza e constrange empresa

Um comunicado interno do Facebook veio à publico inadvertidamente e causou constrangimento para a rede social. O documento afirma ser uma "verdade inconveniente" que tudo que a empresa fez para crescer foi justificado.
O memorando escrito em 18 de junho de 2016 pelo executivo Andrew Bosworth e revelado pelo site Buzzfeed afirma que isso se aplicaria mesmo a situações em que pessoas poderiam morrer como resultado de bullying ou terrorismo.
Tanto seu autor quanto o presidente da companhia, Mark Zuckerberg, negaram de fato crer nisso, mas o vazamento pode minar os esforços do Facebook para conter outro escândalo.
O Facebook está sob intenso escrutínio público desde que reconheceu ter recebido relatórios de que uma consultoria política, a Cambridge Analytica, não havia destruído os dados coletados de cerca de 50 milhões de usuários há alguns anos.

'Verdade inconveniente'

No memorando, Boswroth escreveu:
"É um fato que nós conectamos mais pessoas. Isso pode ser ruim se usuários transformarem o conteúdo em algo com efeito negativo. Talvez custe uma vida ao expor alguém a bullying. Talvez alguém morra em um ataque terrorista coordenado com nossas ferramentas.
E, ainda assim, nós seguimos conectando pessoas. A verdade inconveniente é que acreditamos tanto em conectar pessoas que qualquer coisa que nos permita conectar mais pessoas é tida como algo positivo em si. É talvez a única área em que as métricas contam a verdadeira história até onde sabemos.
[...]
É por isso que todo o trabalho que fazemos para crescer é justificado. Todas as práticas questionáveis para obter contatos. Toda a linguagem sutil que ajuda a fazer com que as pessoas apareçam nos resultados de buscas de amigos. Todo o trabalho que temos para gerar mais comunicação. Todo o trabalho que teremos que fazer na China um dia. Tudo isso."

Provocação

Bosworth, que foi um dos inventores do o feed de notícias do Facebook, ocupou cargos de alto escalão na empresa desde 2006 e está atualmente à frente de seu esforços em realidade virtual.

O executivo tuitou que "não concordava" com o teor do texto quando o compartilhou, mas que o enviou para os funcionários da empresa para "fazer uma provocação".
"Debater assuntos difíceis como esse é uma parte crítica de nosso processo, e, para fazer isso de forma eficiente, temos de ser capazes de levar em conta até mesmo as ideias ruins", disse ele.
Zuckerberg fez uma declaração sobre o assunto: "Boz é um líder talentoso que diz muitas coisas provocadoras. Esse foi um caso em que a maioria das pessoas, inclusive eu, discordamos veementemente. Nunca acreditamos que os fins justificam os meios".
Uma reportagem do site The Verge revelou que dezenas de funcionários do Facebook usaram ferramentas de comunicação internas para expressar preocupação de que esse material poderia ter sido vazado para a imprensa.

Práticas questionáveis

Rory Cellan-Jones, repórter de tecnologia da BBC News, afirma que o que mais chamou sua atenção no memorando foi a frase sobre "todas as práticas questionáveis para obter contatos".
"Quando baixei meus dados do Facebook, fiquei assustado com a quantidade de números de telefone dos meus contatos que estavam ali. Mas a atitude da empresa fazia parecer que isso era normal e que cabia aos usuários desativar essa função se não gostassem disso", escreveu o jornalista.
"O que sabemos é que, em 2016, um executivo sênior pensou que esse tipo de coleta de dados era questionável. Então, porque só agora a companhia está debatendo esta e outras práticas duvidosas. Até agora, não houve muitos vazamentos do Facebook. Talvez teremos em breve mais informações de pessoas de dentro da empresa conforme esse negócio ainda em sua adolescência tenda a crescer e lidar com sua verdadeira natureza."
O vazamento ocorre em um momento em que o Facebook busca reagir às preocupações do público e de investidores com a forma como a rede social é administrada. Suas ações caíram 14% desde que o escândalo da Cambridge Analytica começou, e diversos nomes de peso no mundo começaram a fazer campanha para que as pessoas saiam da rede social.

Mudanças

A companhia anunciou na última quinta-feira que começou a fazer a checagem de fotos e vídeos publicados na França e que expandirá essa prática para outros países em breve.
Também divulgou ter desenvolvido uma nova ferramenta para investigar perfis falsos e conter atividades que possam ser danosas a processos eleitorais. A rede diz também ter iniciado a construção de um arquivo público que possibilitará que jornalistas e outras pessoas investiguem propaganda política publicada em sua plataforma.
A rede social já havia anunciado uma mudança em suas configurações de privacidade e dito que restringiria o volume de dados que troca com outros negócios que coletam informações para anunciantes.
A mais recente controvérsia deve dar, no entanto, ainda mais munição aos críticos do Facebook.
A emissora televisiva americana CNN disse nesta semana que Zuckerberg decidiu testemunhar perante o Congresso americano "daqui a algumas semanas" após se recusar a fazer o mesmo no Parlamento britânico. No entanto, a BBC não conseguiu confirmar se ele de fato deporá em Washington.
Fonte: BBC

Marketing Digital Artístico é na F5 Mídia!

F5 Mídia tem o DNA digital. Criamos campanhas publicitárias que aproximam seu púbico através de um conteúdo diferenciado, interativo e especialmente desenvolvido para você. Somos especialistas em Marketing Digital Artístico e também fazemos sua empresa ganhar destaque na internet. Nossa equipe é formada por artistas do mundo publicitário ligados no 220 volts e conectados nas tendências do mercado musical e digital.
Se criamos campanhas para outro segmentos? Mas é claro que sim! Somos muito criativos e antenados e nossa tarefa é criar uma forte presença digital para sua empresa. Temos um grande portfólio em outros segmentos. Entre em contato com a gente!
Contato: (21) 96471-1386
ACESSE: f5midia.com.br

25 CURIOSIDADES ALEATÓRIAS SOBRE O FACEBOOK

1 – Todos os dias, 600.000 contas do Facebook sofrem tentativas de invasão;

2 – O primeiro rosto a estampar uma imagem de perfil na rede social foi o do ator Al Pacino;

3 – Quem tem um smartphone checa o Facebook em média 14 vezes por dia;

4 – Existem diversos casos de pessoas que foram assassinadas porque desfizeram amizade com alguém no Facebook;

5 – Existem 3.74 graus de separação em média entre qualquer usuário do Facebook e outro;

6 – O Facebook tem dados de todos os sites que um usuário visita, mesmo quando não está logado;

7 – Uma em cada três pessoas se sente mais insatisfeita em relação à própria vida depois de checar status alheios na rede social;

8 – O Facebook é azul porque Mark Zuckerberg tem um tipo de daltonismo que não o permite ver as cores verde e vermelho;

9 – Existem cerca de 30 milhões de perfis de pessoas mortas no Facebook;

10 – Na China, o Facebook, o Twitter e o site do The New York Times estão bloqueados desde 2009;

11 – Um terço de todos os documentos de divórcio assinados nos EUA em 2011 tinha a palavra “Facebook”;

12 – Ninguém consegue bloquear o perfil de Mark Zuckerberg;

13 – Para cada usuário, o Facebook arrecada cerca de US$ 6;

14 – Na Grã-Bretanha uma mulher foi condenada a 20 meses de prisão por ter criado inúmeras contas falsas no Facebook, com a finalidade de enviar mensagens ofensivas a ela mesma;

15 – Um levantamento revelou que 5% dos britânicos checam o status do Facebook enquanto fazem sexo;

16 – Em 2013, Zuckerberg doou US$ 1 bilhão para a caridade, se tornando o maior filantropo dos EUA naquele ano;

17 – Originalmente, o botão de curtir seria chamado “impressionante”;

18 – De todos os perfis cadastrados no site, 8,7% são falsos;

19 – Os dados dos usuários já revelaram que as semanas que antecedem o Natal são as mais propensas para términos de relacionamentos;

20 – A cada minuto, 1,8 milhão de novos likes são dados na rede social;

21 – Um minuto de servidor parado no Facebook significa um prejuízo de US$ 25 mil;

22 – Zuckerberg recebe um salário de US$ 1 como CEO;

23 – Cada coisa que você digita na caixa de atualização de status vai parar no banco de dados do Facebook, mesmo aquelas que você acaba desistindo de publicar;

24 – Um dos fundadores do WhatsApp, Brian Acton, foi rejeitado quando quis trabalhar no Facebook, em 2009. Cinco anos depois, Zuckerberg comprou os direitos do aplicativo por US$ 19 bilhões;

25 – Os funcionários homens do Facebook têm um direito à licença paternidade de quatro meses.

Fonte: Mega Curioso

Instagram libera GIFs novamente após caso de racismo

quinta-feira, 22 de março de 2018

Escândalo: “O Facebook cometeu erros”, admite Zuckerberg após vazamento de dados

O fundador admitiu ainda a possibilidade de introduzir mudanças que farão com que seja cada mais complexo reunir informação sobre os usuários e seus perfis. LEIA AQUI.

Instagram libera o uso de links em hashtags e perfis na bio

Quem usa bastante o Instagram geralmente gosta de deixá-lo totalmente personalizado, com informações sobre as coisas que você faz e gosta. Para isso, basta preencher seu perfil com esses dados, mais especificamente no campo de biografia. Até então, era possível inserir links de sites nessa área, mas nada além disso e texto corrido comum. A novidade agora é que o Instagram vai transformar em links as hashtags e perfis da plataforma que forem inseridas na biografia de seu perfil.

Para isso, basta colocar termos-chave, precedidos por hashtags (#), ou perfis, sempre depois de uma arroba (@), para que eles se tornem links clicáveis na parte de biografia. Isso facilita muito o acesso ao conteúdo que pode ser visualizado por meio daquelas palavras ou usuários bastante apenas um toque nos links para acessá-los.

Vale ressaltar que ao marcar o link para um perfil em sua biografia, esse usuário vai receber uma notificação e tem a opção de removê-lo de sua conta. A mudança parece um detalhe, mas é o tipo de coisa que acaba fazendo a diferença para o conforto e a experiência dos usuários, que vai poder acessar pontos de interesse de seus amigos com muito mais facilidade.

Fonte: TecMundo

Entenda o escândalo do uso de dados do Facebook

Clique e leia.

segunda-feira, 12 de março de 2018

Instagram e Snapchat suspendem uso de GIFs após caso de racismo

Redes sociais passaram a ser integradas com plataforma de GIFs neste ano.


Instagram e Snapchat suspenderam neste fim de semana a inclusão de GIFs em suas plataformas após uma dessas imagens exibir conteúdo racista.

Apesar de o Facebook ser o dono do Instagram, a mesma plataforma em que o GIF racista foi encontrado permanecia ativa no Messenger, o serviço de bate-papo da rede social.

As duas redes sociais só passaram a permitir a adição das imagens animadas neste ano –Instagram em janeiro e Snap, em fevereiro. Para isso, os dois aplicativos fizeram uma parceria com o Giphy, uma plataforma colaborativa de criação de GIFs.

Só que a colaboração não durou muito. A partir desta sexta-feira (9), começaram a pipocar na rede relatos de usuários que encontram um GIF com uma mensagem racista.

Após buscar pela palavra “crime”, um dos resultados era o de uma imagem que mostrava um contador de mortes de negros e que usava uma palavra ofensiva (“Nigger”). O contador era rodado por macaco, enquanto um homem branco, agindo como um apresentador de auditório, dizia “Continue girando a manivela, Bonzo. Os números continuam a disparar”.

Questionado pelo G1, o Instagram, plataforma do Facebook, confirmou que congelou a parceria com o Giphy.

O Snapchat não respondeu, mas confirmou ao site TechCrunch que retirou a plataforma de GIFs do ar pelo mesmo motivo.

A equipe por trás do Giphy informou que retirou a imagem do ar, por ela infringir seus “padrões de conteúdo”. Segundo a plataforma, o GIF só entrou no ar devido a uma falha.

“Depois de uma investigação do incidente, esse ‘sticker’ foi disponibilizado devido a um problema nos filtros de moderação de conteúdo, que afetaram especialmente os GIFs. Nós consertamos o bug e remoderamos todos os ‘stickers’ de GIF da nossa biblioteca”, afirmou o Giphy ao TechCrunch.

“Não há espaço para esse tipo de conteúdo no Instagram. Suspendemos a nossa integração com o Giphy enquanto eles investigam esta questão”, afirma o Instagram, em nota.

Fonte: G1

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

Mark corre atrás de prejuízo e declara mais mudanças no Feed

Por Gabriel Grunewald-ADNEWS

Há poucos dias (12), Mark Zuckerberg anunciou uma mudança que chamou a atenção na internet. Em comunicado oficial, a rede divulgou que, nos próximos meses, mudaria o ranking do Feed de Notícias dando prioridade para posts de amigos e familiares, e com isso, o alcance de páginas seria (ainda) menor.

Em um cenário onde os posts de sites de notícias têm alcance de apenas 5%, em média, a notícia caiu como uma bomba e diversos veículos se mostraram preocupados com a novidade que força ainda mais que as fanpages anunciem na rede social para que possam ser visualizadas pelo público.

Consciente da gravidade e da má aceitação das declarações, Mark volta atrás e apresenta em postagem no seu perfil pessoal algumas outras atualizações. Na publicação, o CEO do Facebook diz que os usuários também poderão classificar as notícias que leem e personalizar o que chega até eles.


 "Como parte de nossas pesquisas de qualidade em curso, agora, vamos perguntar às pessoas se elas estão familiarizadas com uma fonte de notícias e, em caso afirmativo, se elas confiam nessa fonte", disse o executivo.

Dessa maneira, a rede social ajusta os conteúdos compartilhados em sua comunidade de maneira afinada e faz mais um esforço para frear a popularização das fake News em seu ambiente.

Já liberada nos Estados Unidos, a mudança será disponibilizada em breve para o mundo todo.



Entenda como funciona o novo WhatsApp Business

por ADNEWS

Pessoas no mundo todo utilizam o WhatsApp para se comunicarem com as empresas que são importantes para elas - desde comércio de roupas on-line na Índia até distribuidores de peças automotivas no Brasil.

Tendo em vista que o WhatsApp foi criado para uma comunidade global, a plataforma lança nesta quinta-feira (18), o WhatsApp Business um aplicativo gratuito para pequenas empresas, disponível em Android.

Com este app, as empresas terão mais facilidade para se conectarem com clientes e os usuários também terão a possibilidade de contatar suas marcas favoritas.

Além disso, também ficará mais fácil para as empresas responder ao público, separando assim, as mensagens pessoais das comerciais e ao mesmo tempo criando uma presença oficial.



Entenda as novas funcionalidades do dispositivo:

Perfil Empresarial: Ajuda os clientes com informações úteis, como por exemplo, uma descrição comercial, e-mail, endereço físico e website.

Ferramentas de Mensagens: Feita para economizar tempo com ferramentas inteligentes -respostas rápidas para as perguntas mais frequentes, mensagens de saudação para apresentar a empresa e as auto respostas de ausência para que os clientes saibam quando responsável estiver ocupado.

Estatísticas: Analise de métricas simples, como por exemplo o número de mensagens que foram lidas.

Tipo de Conta: As pessoas saberão que estão se comunicando com uma empresa, pois ela aparecerá listada como uma conta comercial e com o passar do tempo, alguns negócios terão suas Contas Confirmadas.

WhatsApp Web: Envia e receba mensagens com o WhatsApp Business usando o mesmo computador.

Mais de 80% das pequenas empresas na Índia e no Brasil afirmam que o WhatsApp hoje, os ajuda na comunicação com seus clientes e com o crescimento de seus negócios - (fonte: estudo Morning Consult) - e com o WhatsApp Business, as pessoas poderão entrar em contato com as empresas facilmente, de forma rápida e simples.

O mecanismo já está disponível, é gratuito e pode ser baixado na Google Play na Indonésia, Itália, México, Reino Unido e EUA.

O aplicativo será lançado no mundo todo nas próximas semanas.

Facebook vai deixar usuários determinarem quais fontes de notícias são confiáveis

Zuck passa a batata quente pros próprios usuários 

por Rafael Silva-B9

Após anunciar mudanças catastróficas para marcas e veículos que usam o Facebook na semana passada, Zuck continuou hoje a deixar sites de notícias um pouco mais preocupados ao usar a plataforma. As próximas mudanças anunciadas hoje para o feed de notícias vai deixar nas mãos dos usuários a decisão sobre quais veículos são confiáveis e quais não são.

Especificamente, Mark Zuckerberg diz no seu artigo que “Como parte das nossas pesquisas de qualidade constantes, vamos passar a perguntar se as pessoas estão familiarizadas com uma fonte de notícias e, caso estejam, se elas confiam naquela fonte”. Essa atualização, segundo o Facebook, deve servir para priorizar “fontes que a comunidade acha confiável, notícias que as pessoas acham informativas e notícias que são relevantes para uma comunidade local”.

O que pode dar errado, não é mesmo? Não é como se o Facebook amplificasse a própria bolha pessoal de cada um dos seus usuários.

Por enquanto, segundo a empresa, os testes devem acontecer somente nos EUA, mas já está nos planos a expansão para demais países no futuro.

Spotify anuncia novo formato multimídia: o Spotlight


Novidade vai beneficiar os produtores de podcasts com novos recursos visuais

por Matheus Fiore- B9

O Spotify anunciou nesta quinta (18) que está expandindo seus serviços para incluir “podcasts visuais” sobre notícias, política e entretenimento. Esses programas, disponíveis em formato playlist, incluirão um componente multimídia que reúne texto, vídeo e fotos como parte do novo formato, que será chamado Spotlight.

O recurso será similar à uma apresentação em Power Point, que permitirá que os criadores ilustrem visualmente elementos comentados durante os programas. Um dos objetivos da novidade é aprofundar o conhecimento do público sobre o conteúdo que está sendo consumido, criando uma experiência mais imersiva.

A novidade não trará grandes mudanças na atual interface do Spotify, pois visa apenas complementar e expandir a experiência auditiva proporcionada pelo aplicativo. Quando o público ouvir um podcast “visual” com algum vídeo, por exemplo, ele surgirá em forma de pop-up, no lado esquerdo da tela. Mais “gêneros” de podcasts que se encaixarão na novidade serão anunciados no próximo mês, embora o Spotlight já inclua cultura pop, esportes, política e música.

Lançamento vem com parcerias
O Spotlight não será lançado sozinho. Juntamente à novidade, o Spotify incluirá conteúdo de vários parceiros, incluindo BuzzFeed News, Cheddar, Crooked Media, Lenny Letter, Gimlet Media e Genius, além das séries originais do Spotify: RISE, Secret Genius, Spotify Singles e Viva Latino.

Na apresentação da novidade, membros da equipe Spotify disseram estar contentes com a novidade, esperando que o Spotlight possa ser um elo entre storytelling, informações, notícias e opinião, com uma pegada visual característica para cada programa.

Por ora, o Spotlight está disponível apenas nos Estados Unidos, mas a intenção é lançar para todo o mundo em breve.